Trajetórias: Cremilda Medina

Ao completar 80 anos, Cremilda Medina rememora sua vida acadêmica e os anos de USP

Em um texto de memórias escrito a pedido do ÁgoraECA, a professora titular sênior da Escola de Comunicações e Artes Cremilda Medina rememora seus 61 anos de vida acadêmica e seus 51 anos de USP, tendo como pano de fundo o mundo afetado pela pandemia da Covid-19.

Portuguesa do Porto, radicada no Brasil em 1953, Cremilda Medina relembra sua trajetória acadêmica, iniciada em 1961 na Universidade Federal do Rio Grande do Sul e consolidada na Universidade de São Paulo. Rende homenagens póstumas a seus professores e parceiros de caminhada e salienta sua formação humanística da graduação, que se beneficiou do caldo fértil dos primeiros anos da década de 1960.

Conta sobre sua ida para a ECA/USP com o companheiro Sinval Medina em 1971, para lecionar como docente do Departamento de Jornalismo e, no ano seguinte, iniciar o primeiro curso de pós-graduação em Ciências da Comunicação do Brasil e da América Latina, que completou 50 anos agora em 2022. A professora Cremilda foi a primeira mestre da ECA, formada em 1975.

Nestas memórias, evita lembrar das dores causadas pela ditadura, que a afastou da USP de 1975 a 1985. O retorno à universidade se deu em 1986, quando pode dar prosseguimento à vida acadêmica com o doutorado, o retorno à docência e à pesquisa e os concursos de livre-docência (1989) e titularidade (1992).

Declara seu amor à reportagem e conta sobre sua trajetória profissional na imprensa, tendo passado pela Revista e Editora Globo de Porto Alegre, e, em São Paulo, por Jornal da Tarde, Revista Fotóptica, TV Bandeirantes, TV Cultura, O Estado de S. Paulo.

Recorda seu encontro com o escritor argentino Jorge Luis Borges na Primeira Bienal do Livro em 1970, sua relação com os professores da ECA, seu primeiro encontro com José Marques de Melo (então jovem professor e chefe do Departamento de Jornalismo), sua participação na criação da Agência Universitária de Notícias e muitos outros fatos de sua história, sempre motivada pela conjugação da prática com a teoria. Os 21 livros de sua autoria e a organização de 60 coletâneas interdisciplinares registram essa múltipla reflexão.

Não deixe de ler este emocionante testemunho histórico e afetivo da professora Cremilda Celeste de Araújo Medina, que inaugura a série “Trajetórias”, do ÁgoraECA. Baixe o pdf com o texto na íntegra:
Baixar PDF

Sobre o depoimento:

Compartilhe
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

#main-content .dfd-content-wrap {margin: 0px;} #main-content .dfd-content-wrap > article {padding: 0px;}@media only screen and (min-width: 1101px) {#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars {padding: 0 0px;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars > #main-content > .dfd-content-wrap:first-child,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars > #main-content > .dfd-content-wrap:first-child {border-top: 0px solid transparent; border-bottom: 0px solid transparent;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width #right-sidebar,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width #right-sidebar {padding-top: 0px;padding-bottom: 0px;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars .sort-panel,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars .sort-panel {margin-left: -0px;margin-right: -0px;}}#layout .dfd-content-wrap.layout-side-image,#layout > .row.full-width .dfd-content-wrap.layout-side-image {margin-left: 0;margin-right: 0;}